PF intima blogueiro Eduardo Guimarães por 'ameaçar Moro'

geral
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O blogueiro Eduardo Guimarães nega ter feito qualquer tipo de ameaça ao juiz federal em questão. E cita dois episódios ocorridos em 2015 em que fez críticas ao juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, mas nenhum deles continha ameaça.

Em 4 de maio de 2015 – exato 1 ano e 10 meses atrás –, Eduardo Guimarães representou ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o juiz Sergio Moro por ter prendido uma cidadã por engano. A representação foi arquivada.

Para ler a representação, clique aqui.

Em 22 de junho de 2015, cerca de um mês e meio depois, um blogueiro da revista Veja chamado Felipe Moura Brasil acusou o blogueiro Eduardo Guimarães de ter “especulado sobre a vida do juiz Sergio Moro em tom de ameaça”.

O blogueiro Felipe Moura Brasil se refere a uma série de mensagens colocadas pelo blogueiro Eduardo Guimarães no Twitter para promover o artigo Direita prefere destruir o país a aceitar justiça social, publicado em 21 de junho no Blog da Cidadania, um dia antes da “denúncia” do blogueiro da revista Veja.

O blogueiro Eduardo Guimarães postou uma série de tuítes promovendo seu artigo. Em todos esses tuítes colocou o link para esse artigo supracitado. Um desses tuítes foi destacado pelo blogueiro da Veja e divulgado como sendo “ameaça” ao juiz federal.

Confira, abaixo, a sequência de tuítes:

O blogueiro Eduardo Guimarães afirma que nenhuma dessas mensagens contém qualquer tipo de ameaça ao juiz Sergio Moro e que tem certeza de que conseguirá demonstrar isso às autoridades com grande facilidade, por razões que entende óbvias.

*

PS: o depoimento do blogueiro Eduardo Guimarães à PF está marcado para daqui a várias semanas. O intimado avisa que só irá dar novas informações sobre após o depoimento. O blogueiro também informa que tem 57 anos e durante essas quase seis décadas de vida nunca, jamais foi acusado de qualquer tipo de ilegalidade nem na Justiça e muito menos na polícia.